Menu

Christian Tissier teaching in BrightonChristian Tissier Shihan está entre os mais conhecidos professores de Aikido do mundo. E isto em razão de ter começado sua carreira ainda bastante jovem, por ter constituído uma notável carreira e por seu carisma natural, sua técnica inigualável e ainda, é claro, por seu senso inato da mídia. No entanto, além do ícone, poucas pessoas realmente conhecem o homem e seu percurso. Neste artigo, proponho que vejamos com mais atenção o princípio da carreira de Christian Tissier e dessa forma, espero contribuir para que os leitores compreendam o homem por trás do "modelo" (o termo japonês Shihan [師範] significa literalmente "modelo").

Agradecimentos sinceros a Micheline Tissier e Christian Tissier por me terem permitido reproduzir fotos de seus arquivos pessoais para ilustrar este artigo. Todas as imagens permanecem propriedade exclusiva de seus respetivos proprietários.

A estreia em Paris

Christian Tissier in TokyoChristian Tissier é um professor de Aikido francês, nascido em Paris aos 7 de fevereiro de 1951[1] em uma família operária[2]. Com apenas 11 anos já frequenta, em 1962, seu primeiro curso de Aikido sob a direção de Jean-Claude Tavernier, tornando-se um dos mais jovens praticantes da Europa. Durante esta iniciação, Christian Tissier encontra Nakazono Masahiro Sensei e imediatamente decide seguir o ensinamento do mestre japonês em seu dojo perto da Porte Saint-Martin[3]. Naquela época, Nakazono Sensei já havia começado a introduzir em seus cursos os aspectos mais espirituais do Aikido, particularmente as técnicas do som do Kototama e, apesar das tensões sub-jacentes devido a esta abordagem bastante incomum, Christian Tissier continuou a seguir com afinco os cursos de Nakazono Sensei até sua partida para o Japão. Além dos cursos regulares de Nakazono Sensei, Christian Tissier estava sempre presente nos estágios liderados por outros professores japoneses estabelecidos na Europa naquela época, especialmente os de Tamura Nobuyoshi Sensei[4]. É interessante notar que apesar do fato de que hoje estejam ligados por laços de uma sólida amizade, Christian Tissier nunca frequentou os cursos de Noro Masamichi Sensei, em razão principalmente da rivalidade que existia entre este e Nakazono Sensei[5][6].
Além de sua assiduidade infalível, o jovem ChristianTissier demostra ser um aluno talentoso, como evidencia sua promoção ao rangue de 2o Dan por Nakazono Sensei em 1968[1][7], apenas 7 anos após seus primeiros passos num tatami. Foi durante este período, que Christian Tissier começou a refletir sobre o fato de partir para o Japão por um período de 6 meses, assim que tivesse em mãos seu diploma de ensino médio e antes de começar o ano universitário. Sua principal motivação era evidentemente de poder treinar no Hombu Dojo da Aikikai de Tokyo[1][6].

Um sonho a realizar e uma viagem ao Japão, berço do Aikido

Foi em 1969, depois de meses de preparação, trabalhando no mercado central de Rungis ou, então, como carregador nas mudanças, visando reunir o dinheiro necessário para a viagem[6], que Christian Tissier conseguiu finalmente comprar sua passagem no trem transiberiano que o levaria até o Japão, após um percurso que durou três semanas através da Europa e da Rússia seguido de uma travessia em navio do mar do Japão[7].
Infelizmente, quando finalmente chega ao Japão, o Sensei Ueshiba Moriheï já havia morrido e, além disso, encontrava-se com muito pouco dinheiro, pois a viagem lhe havia custado grande parte de suas economias[2][7], mas após as dificuldades do começo e graças a sua vontade de ferro e sua determinação inabalável, Christian Tissier consegue encontrar trabalho, primeiramente como modelo[6], e mais tarde como professor de francês no Instituto franco-japonês de Tóquio[6]. Oportunidades que lhe permitirão de estabelecer-se confortavelmente no Japão e ainda poder se consagrar à prática.

Tomada de consciência do Aikido e muito trabalho pela frente

Christian Tissier performing sankyo at the Aikikai Hombu DojoApós alguns questionamentos sobre a validade do Aikido que ele via demonstrado no Hombu Dojo do Aikikai em relação com o que aprendera até aquele momento[4], Christian Tissier tomou para si a prova de abrir a mente e aprender o máximo possível, treinando quotidianamente, fazendo o maior número de cursos possível[2][5]. Dedicação que lhe permitirá perceber rapidamente que 6 meses não serão suficientes para realmente compreender a essência do Aikido e ele decide, então, prolongar sua estadia para além dos limites que havia anteriormente fixado.

Seu investimento na prática e nas atividades do dojo propiciaram-lhe rapidamente a oportunidade de tecer laços de amizade com os uchi deshi daquela época dentre os quais figuravam Endo Seishiro, Suganuma Morito, Toyoda Fumio, Yasuno Masatoshi, e mais tarde Miyamoto Tsuruzo, Yokota Yoshiaki, e Osawa Hayato Sensei[6]. Christian Tissier pode ainda estabelecer uma relação privilegiada, provavelmente em razão da pequena diferença de idade, com aquele que na época era chamado de "Waka-Sensei", o atual Doshu do Aikido, Ueshiba Moriteru[6]. Quando Christian Tissier chegou, poucos estrangeiros estudavam no Hombu Dojo e ele foi logo nomeado com o título de dojo no kanji, um membro executivo oficial do Aikikai responsável por outros estudantes estrangeiros do Hombu Dojo[2][6].

Dois mentores e uma multidão de influências técnicas consideráveis

Christian Tissier with Yamaguchi SenseiEmbora tenha estabelecido como ponto de honra estudar com todos os Sensei do Aikikai, Christian Tissier desenvolveu uma relação particularmente estreita com dois mestres que tiveram, segundo ele, uma especial influência em sua prática atual; o segundo Doshu Ueshiba Kisshomaru e o grande Yamaguchi Seigo Shihan, para os quais ele serviu bastante como uké durante os cursos como também nas demonstrações[1][4][6]. Do primeiro, recebeu fundamentos inabaláveis e precisão e do segundo, a liberdade bem como certo brio[4][6]. Christian Tissier ele próprio admite que sua relação com estes dois mestres ia bem além da simples transmissão técnica, constituía algo quase filial. Isso ajuda a entender porque o Doshu Ueshiba Kisshomaru Doshu se empenhou tanto em entregar pessoalmente a Christian o título de 7o Dan Aikikai, quando já se encontrava bastante doente e acamado[6]. Quanto a Yamaguchi Sensei, este não era nada menos que uma figura paterna[4]. É interessante notar que o próprio Christian Tissier reconhece que seu Aikido tem pouca semelhança com o do mestre Yamaguchi, mas explica que o mestre não gostava de ser imitado[4].

Outra notável influência foi a de ninguém menos que Saotome Mitsugi Sensei, com quem aprendeu especialmente as técnicas de Jyo que ainda continua a ensinar [6].

Um combatente completo com experiência no ringue

Christian Tissier and Seigo YamaguchiDurante sua estadia no Japão, Christian Tissier estudou a língua japonesa em Tokyo School of the Japanese Language e na Sophia University[1]. Além de sua dedicação ao Aikido, Christian Tissier aproveitou de sua proximidade com os mestres para se familiarizar com outras disciplinas marciais. Praticou especialmente o Kickboxingau lendário Meijiro Gym sob a direção de Shima Mitsuo e de Fujiwara Toshio, os dois maiores campeões de seu tempo, e até mesmo participou de diversos combates no ringue[6]. No geral, esta prática permitiu-lhe entender melhor os conceitos mecânicos das artes de combate e de gerenciar melhor o tempo particular que está associado a cada uma delas[5][6].

Christian Tissier também praticou, evidentemente, o Kenjutsu do estilo Kashima Shin Ryu sob a direção de Inaba Minoru Sensei em seu dojo do Shiseïkan. Este conjunto de conhecimentos terá uma influência decisiva em seu Aikido, especialmente sobre as noções de cortes centrais na maioria de suas técnicas, bem como em seus deslocamentos muito diretos no Irimi[4][6].

Menos formalmente, Christian Tissier praticou também o karatê, o judô, e o quendô, principalmente na pequena comunidade de Budoka francesa vivendo em Tóquio naquela época[6].

Mesmo depois de seu retorno à França, ele continuou suas incursões ocasionais em outras artes marciais, especialmente com o karatê com membros da equipe francesa liderada por seu amigo Jean-Pierre Lavoratto. O que o ajudou evidentemente a ganhar em credibilidade e a estabelecer sua reputação fora do Aikido como um combatente sólido[6].

Trecho do primeiro vídeo pedagógico de Christian Tissier (1983)

Retorno à França após 7 anos passados no Japão

Depois de ter sido promovido ao 4o Dan, Yamaguchi Sensei sugeriu a Christian Tissier que ele voltasse para a França para promover o Aikido lá e ensinar o que havia aprendido durante sua formação no Hombu Dojo do Aikikai[8]. Apesar de estar bem instalado no Japão e se sentir muito bem lá, ele seguiu os conselhos de seu mestre e voltou definitivamente à França em julho de 1976 e começou a ensinar logo em seguida. Recomprou de Jean-Pierre Lavorato seu dojo de Vincennes em Paris[9] e estabeleceu sua própria escola, o Cercle Tissier, por ele dirigido até hoje[1]. O árduo trabalho feito por Christian Tissier fará com que o Cercle Tissier seja hoje um dos mais importantes centros privados de artes marciais da Europa e seus 750m2 acolhem evidentemente cursos de Aikido, mas também aulas de judô, karatê, ninjutsu e jujutsu para citar somente alguns exemplos, todos sob a direção de instrutores de renome internacional [10].

Demonstração do Segundo Doshu Ueshiba Kisshomaru no 3o Congresso da Federação Internacional de Aikido em Paris (1980). Os Uke são Ueshiba Moriteru Waka Sensei, Osawa Hayato Sensei e Christian Tissier Sensei.

Em nível nacional, Christian Tissier participou ativamente, com Jacques Abel, Louis Clériot e Michel Hamon, da criação da Federação Francesa de Aikido, Aikibudo e Afins (FFAAA), que é um dos dois mais importantes grupos de Aikido na França[2][4][11]. Aliás, foi o próprio Tissier quem propôs o nome do grupo e ele tornou-se de facto seu líder carismático[4].

Christian Tissier in Vincennes

Cercle Christian Tissier

A FFAAA foi reconhecida oficialmente pela Fondation Aikikai e pela Fédération internationale d'Aikido e conta atualmente com mais de 25 000 praticantes distribuídos em cerca de 800 clubes[12].

Christian Tissier teaching in Vincennes

Christian Tissier dando aula em Vincennes

A chegada do sucesso

Apesar de suas responsabilidades e de sua agenda lotada para ensinar na França, na Europa e, sobretudo, no continente americano, Christian Tissier fez questão de manter laços fortes com o Hombu Dojo, passando a cada ano vários meses no Japão[1]. Recebeu o 5o Dan Aikikai em 1981 o 6o Dan em 1986, e o 7o Dan em 1998. Também recebeu o título prestigioso de Shihan pouco tempo depois, fazendo dele o primeiro mestre não-japonês a aceder a esta posição[4][6]. Christian Tissier é bem conhecido por promover o Aikido no tatami, bem como nos meios de comunicação, especialmente durante a demonstração anual do Festival des Arts Martiaux de Bercy em Paris, e ainda através de seus muitos livros e DVD[8][13]. Christian Tissier foi o primeiro não-japonês a ensinar no Congrès de la Fédération internationale d'Aikido[14] e recentemente representou o Aikido nos primeiros Combat Games realizados em 2010 em Pequim.

Christian Tissier receiving his award from the ambassador of Japan in France

Christian Tissier recebendo seu prêmio das mãos do embaixador do Japão na França

Em julho de 2012, Christian Tissier estava entre as personalidades ilustres no prestigioso prêmio do Ministério das Relaçõess Exteriores Japonês, o Foreign Minister's Commendation[15]. Este prêmio é outorgado a indivíduos cujo ilustre percurso tenha contribuído para fortalecer os laços entre o Japão e os outros países.

Referências:

  1. Guy Bonnefond et Louis Cleriot - L'histoire de l'Aikido, 50 ans de présence en France. Budostore. ISBN:2846170010. Novembro 2000. Paperback 416 páginas (em francês)
  2. Horst Schwickerath - Entretien avec Christian Tissier Sensei de Roquebrune sur Argens/St. Raphaël. Aikidojournal.eu. Fevereiro 2005 (em francês)
  3. Jean-Marc André - History of Aikido in France. FFAAA Ligue Aquitaine d'Aikido. (em francês)
  4. Guillaume Erard - Interview de Christian Tissier 7e Dan : L'Aikido en système d'éducation. GuillaumeErard.com.1 fevereiro 2008 (em inglês)
  5. Dominique Radisson - Christian Tissier: Je vis ma vie comme je pense et vis dans mon aikido. Génération Tao. 4 avril 2007 (em francês)
  6. Léo Tamaki - Interview Christian Tissier, la recherche de la perfection Tsubaki Journal. 1o de junho 2007 (em francês)
  7. La Voix du Nord - Aikido : rencontre avec Christian Tissier, 7e dan La Voix du Nord. 19 de dezembro 2008 (em francês)
  8. Stanley Pranin - Christian Tissier: An Aikido Odissey. DVD. Aikido Journal (em inglês)
  9. Bruno Amiet - Club de JJB, le Cercle Tissier à Vincennes. 7 de novembro 2011 (em francês)
  10. Site officiel du Cercle Tissier (em francês)
  11. Michel HamonHistoire de l'Aikido en France. Guy Trédaniel Éditeur. ISBN: 978-2-85707-696-4.1 maio de 1995. Paperback 160 páginas (em francês)
  12. Site oficial da Fédération Française d'Aikido, Aikibudo et Affinitaires (em francês)
  13. Supports pédagogiques Aikido de Christian Tissier (em francês)
  14. Site oficial da Federation Internationale d'Aikido (em inglês)
  15. Japan Foreign Minister's Commendations for FY 2012.07 de julho de 2012 (em inglês) 

A respeito do autor: Fundador do site em 2007, Guillaume Erard é um apaixonado pela cultura e pelas artes marciais japonesas. Após ter praticado judô durante a infância, começa o Aikido em 1996 e o Daïto-ryu Aïki-jujutsu em 2008. Atualmente tem os graus de 4o Dan em Aikido (Aikikai) e 1o Dan em Daito-ryu Aiki-jujutsu (Takumakaï). Guillaume também é apaixonado por ciência e educação e tem um doutorado em Biologia Molecular desde 2011. Vive em Tóquio e trabalha como consultor para a pesquisa médica.

Responsável pela tradução para o português: Marcelo do Nascimento faixa preta 3º dan de Aikido, pratica Aikido desde 1990, em 2012 é aceito como aluno de Christian Tisssier Shihan e deste então encontra-se sob sua supervisão técnica. Em 2012 abriu seu dojo na Cidade de Campinas/SP - Brasil (Aikido Shuhari Dojo).

Tradutora: Marisa Rosseto, tradutora Juramentada e Intérprete de Conferência.